Compartilhe







Publicidade

A CONSTRU플O DA SINTAXE PELO ALUNO SURDO: UM PROCEDIMENTO DE ENSINO

(Elaine Aparecida Machado de Agostino )




Elaine Aparecida Machado de Agostino (M). A CONSTRU플O DA SINTAXE PELO ALUNO SURDO: UM PROCEDIMENTO DE ENSINO. 01/11/2003
1v. 131p. Mestrado. UNIVERSIDADE FEDERAL DE S홒 CARLOS - EDUCA플O ESPECIAL (EDUCA플O DO INDIVDUO ESPECIAL)
Orientador(es): Maria da Piedade Resende da Costa
Biblioteca Depositaria: Biblioteca Comunitria da UFSCar

Email do autor:




Palavras - chave:
surdez, deficincia auditiva, procedimento de ensino


햞ea(s) do conhecimento:
EDUCA플O ESPECIAL


Banca examinadora:
Ftima Elisabeth Denari

Maria da Piedade Resende da Costa

Patrcia Abreu Pinheiro Crenitte


Linha(s) de pesquisa:
CURRCULO FUNCIONAL: IMPLEMENTA플O E AVALIA플O DE PROGRAMAS ALTERNATIVOS DE ENSINO ESPECIAL Desenvolve estudos para a identifica豫o, descri豫o e supera豫o de necessidades educativas especiais, propondo, implementando e avaliando programas educacionais.


Agncia(s) financiadora(s) do discente ou autor tese/disserta豫o:
CAPES - DS


Idioma(s):
Portugus


Dependncia administrativa
Federal


Resumo tese/disserta豫o:
A aquisi豫o da leitura e escrita pela criana surda, tem sido ao longo dos anos, uma questo importante para estudiosos de todo o mundo. Ainda hoje no h um consenso sobre o procedimento ideal. E, enquanto no se chega a esse consenso, fonoaudilogos, psiclogos, lingistas, educadores e especialistas promovem e enfrentam discusses sobre as possibilidades comunicativas do surdo incluindo a leitura e escrita. No contexto da educa豫o, vrios so os estudos e pesquisas envolvendo a dificuldade da aquisi豫o da escrita pelo surdo, trazendo tona problemas quanto ao uso da linguagem escrita (no Brasil, a Lngua Portuguesa ), que vo desde o uso indevido ou ausente de preposi寤es at a sele豫o e ordena豫o de elementos gramaticais, ou seja, organiza豫o sinttica. O presente estudo teve como objetivo analisar a produ豫o de frases pelo aluno surdo para avaliar a eficcia de um procedimento de ensino, baseado em recursos visuais e areos. Participaram deste estudo cinco crianas de ambos os sexos, portadoras de surdez neurossensorial bilateral (severa ou profunda), congnita ou adquirida na fase pr-ling茴stica, na faixa etria de sete a dez anos. A programa豫o de ensino utilizou materiais rotineiros (de consumo) e especficos (utilizados tanto na confec豫o como na aplica豫o da mesma). O procedimento compreendeu a avalia豫o inicial (verifica豫o do domnio da constru豫o sinttica), as sesses de aprendizagem (quinze sesses com dura豫o de trinta minutos, trs vezes por semana), a avalia豫o final e a avalia豫o de generaliza豫o (seis meses aps o termino da interven豫o). O procedimento de interven豫o, o qual utilizou o recurso visual do organograma montessoriano e a LIBRAS, em cada sesso de aprendizagem foi realizado em dez tarefas: 1) observa豫o das gravuras; 2) sinaliza豫o das gravuras em LIBRAS; 3) sinaliza豫o das palavras chaves em LIBRAS; 4) Soletra豫o das palavras-chaves atravs da dactilologia; 5) associa豫o das palavras-chaves com as figuras geomtricas do organograma; 6) associa豫o das palavras-chaves com a caixa de divisrias; 7) constru豫o das frases no organograma; 8) produ豫o da grafia das frases no caderno; 9) recoloca豫o das palavras-chaves na caixa com divisrias; e 10) sinaliza豫o das frases mediante a observa豫o das gravuras. Os resultados evidenciaram a eficcia do procedimento de ensino. Analisando estes resultados pde-se concluir que o organograma aliado LIBRAS, foi eficaz para a aquisi豫o da organiza豫o sinttica pelo aluno surdo. Um aspecto do resultado que chamou a aten豫o foi o fato de que todos os alunos tiveram dificuldade com o lxico grfico, ou seja, estes alunos mesmo estando em contato freqente com a grafia das palavras no conseguiram fixa-las.




Cursos Online na rea de Pedagogia

Veja mais artigos sobre Educacao de Surdos:



{* Google Analytcs *}