Compartilhe







Publicidade

Investigação das funções da linguagem, da teoria da mente, do vocabulário e do desempenho escolar de alunos surdos

(Fabiola Ferrer Del Nero Mecca)




Fabiola Ferrer Del Nero Mecca. Investigação das funções da linguagem, da teoria da mente, do vocabulário e do desempenho escolar de alunos surdos. 01/11/2005
1v. 346p. Doutorado. UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - EDUCAÇÃO
Orientador(es): Ida Lichtig
Biblioteca Depositaria: FEUSP

Email do autor:




Palavras - chave:
Educação especial


Área(s) do conhecimento:



Banca examinadora:
Cristina Broglia Feitosa de Lacerda

Debora Maria Befi Lopes

Fernanda Dreux Miranda Fernandes

Ida Lichtig

Idméa Semeghini Di Próspero Machado de Siqueira


Linha(s) de pesquisa:



Agência(s) financiadora(s) do discente ou autor tese/dissertação:



Idioma(s):
Português


Dependência administrativa
Estadual


Resumo tese/dissertação:
Tem-se ampliado a investigação dos aspectos lingüistico e educacional das crianças surdas, a fim de propiciar informações em prol do desenvolvimento geral destas crianças. A presente pesquisa teve como objetivo a investigação das funções da linguagem, da teoria da mente, do vocabulário e do desempenho escolar em alunos surdos, na idade de 5 a 12 anos, filhos de pais surdos e de pais ouvintes, e a investigação da correlação entre estes aspectos. MÉTODO: Dois estudos foram realizados. O estudo 1 investigou as funções da linguagem (FdL), da teoria da mente (TdM), do vocabulário (Vcb) e do desempenho escolar (DpE) em 4 crianças surdas, filhas de pais surdos. O estudo 2 compreendeu a investigação destes mesmos aspectos em trinta crianças surdas com idade entre 7 a 12 anos, filhas de pais ouvintes, distribuídas em dois grupos (grupo 1 e 2). Todas as crianças eram usuárias da Língua de Sinais Brasileira (Libras) e da Língua Portuguesa na modalidade oral (LPMO) e foram individualmente avaliadas. RESULTADOS E CONCLUSOES: A pesquisa demonstrou que, quanto às FL, as crianças surdas, filhas de pais surdos, apresentaram maior uso das funções controladora, expressiva, representativa, planejadora e social e menor uso da função tutelar. As crianças surdas, filhas de pais ouvintes, dos dois grupos fizeram uso de todas as funções da linguagem. Notou-se uma diferença estatisticamente significante no uso destas funções de acordo com a faixa etária (p < 0,001). Há, ainda, uma correlação moderada (c > = 0,40) entre as funções controladora e representativa. Relativamente à teoria da mente, todas as crianças surdas, filhas de pais surdos, falharam na prova da TdM de falsa-crença completa, enquanto apenas a maioria das crianças surdas, filhas de pais ouvintes, falhou nesta mesma prova. Somente três crianças surdas de maior idade (média de idade 11,9 anos), filhas de pais ouvintes, passaram na prova de TdM de falsa-crença completa. Quanto ao vocabulário, as crianças surdas, filhas de pais surdos, apresentaram maiores percentuais de DVU e PS e menores percentuais de ND. As crianças surdas, filhas de pais ouvintes apresentaram maiores percentuais de PS e menores de DVU e ND, para a nomeação na Libras. Verificou-se uma diferença nas designações de acordo com a faixa etária. (p < O,001). Grande parte das crianças surdas, na idade média de 7,6 anos, filhas de pais ouvintes, apresentou pouco ou nenhum domínio da LPMO. Todas as crianças surdas, filhas de pais ouvintes, que fazem uso da LPMO, independentemente da faixa etária, apresentaram maior percentual de PS. Verificou-se uma diferença quanto às designações utilizadas conforme a faixa etária (p < O,001). A comparação entre a nomeação na Libras e na LPMO mostrou que as não-designações ocorrem em maior número na LPMO (p < O,001). Os gestos utilizados pelas crianças de menor idade (7 anos) apresentaram menos características fonológicas do que aqueles utilizados pela criança de maior idade (11 anos). Este dado é constatado por meio da utilização do coeficiente de proximidade fonológica entre os gestos e sinais (Libras). Relativamente ao desempenho escolar, as crianças surdas, filhas de pais surdos, de menor idade (5,6) anos e de maior idade (10,3 anos), apresentaram, respectivamente, o desempenho escolar satisfatório e bom. As crianças surdas, filhas de pais ouvintes, apresentaram desempenho escolar satisfatório. Verificou-se, ainda, uma correlação moderada entre a função da linguagem, a teoria da mente, o vocabulário (c > = 0,40) e entre funções da linguagem e desempenho escolar.




Cursos Online na área de Pedagogia

Veja mais artigos sobre Educacao de Surdos:



{* Google Analytcs *}